CANAL

Marcelo Simonato

Executivo, Escritor, Palestrante, Especialista em Liderança e Gestão de Pessoas. Possui mais de 20 anos de experiência atuando em cargos de liderança.

Você sabia que existe uma diferença entre ser chefe e um verdadeiro líder? Aliás, não somente uma, mas várias e claras distinções. E que esse contraste não está relacionado ao cargo.

Isso significa que não importa se você é diretor, coordenador, executivo, vice-presidente ou gerente de uma empresa.

Estar em uma posição hierárquica superior não faz de você um líder, apenas um chefe.

Por isso, se você deseja conquistar novos patamares de liderança e construir um trabalho junto ao time, leia este artigo.

Afinal, a era dos chefes acabou e não há mais espaço no mercado para profissionais com pensamentos retrógrados.

As diferenças entre um chefe e um verdadeiro líder

Uma pessoa autoritária que executa tarefas, demanda e exige produtividade e desempenho acima de tudo. É assim que muitos chefes regem aos dias de hoje em suas organizações.

Em uma relação baseada na centralização de tarefas, na autoridade do próprio cargo e na valorização do conhecimento puramente técnico.

Em contrapartida, para ser um profissional acima da média, é preciso compreender o que é liderança. Ou melhor, o que é liderança humanizada.

Com efeito, um líder vai além do lugar-comum entre o mandar e obedecer. Ele conduz pessoas a objetivos, esse é o centro do processo.

Desse modo, um verdadeiro líder:

  • não fiscaliza tarefas, mas promove o auto gerenciamento dos liderados;
  • motiva, engaja e alinha os valores da equipe aos da organização;
  • não ameaça, mas oferece segurança aos colaboradores;
  • compreende como cada profissional pode contribuir com o time da melhor forma possível.

Como transformar chefes em líderes?

De modo geral, há dois lados nessa pergunta. Uma parte da mudança ocorre quando as empresas modificam suas próprias políticas de cargos e salários.

Por vezes, o conhecimento técnico é o principal critério para promover ou contratar alguém para um cargo de liderança.

Sem dúvidas, dominar a parte técnica é importante. Porém, as empresas erram quando utilizam apenas esse fundamento.

Ser líder é muito mais do que isso, é possuir habilidades e estar devidamente preparado para o desafio.

Nesse caso, as mentorias e treinamentos são imprescindíveis. São essas imersões que criam o ambiente certo para o desenvolvimento de novas atitudes e posturas de liderança.

De modo prático, os profissionais aprimoram a comunicação, adquirem novas competências e alcançam melhores resultados junto ao time.

Por isso, invista no capital humano. Assuma o compromisso de uma nova gestão e de uma liderança humanizada. E seguramente você e sua equipe alcançarão todas as métricas de sucesso.

Por Marcelo Simonato, executivo, escritor, palestrante e especialista em Liderança e Gestão de Pessoas. É um dos colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação

Redes Sociais:  @MarceloSimonato.Oficial


De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil pra você?
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5


0 Comentários

COLUNISTAS

Alberto Ogata

O futuro do trabalho em tempos de COVID-19

20/10/2020

Aline Sueth

Você precisa rever suas Atitudes

18/05/2021

Tiago Petreca

EX – A Experiência do funcionário, Rei Arthur

04/06/2021

Rosalina Moura

É possível evitar uma epidemia de transtornos mentais pós-pandemia?

15/09/2020

Ricardo Amorim

Inovação, commodities e os ciclos das bolsas globais

18/11/2020

Gustavo Mançanares Leme

Empolgability

10/01/2020
Athomus Tecnologia da Informação