CANAL

Vicente Graceffi

Produtor de Seminários, Workshops e Palestras: Melhores Práticas de Gestão, Contabilidade, Economia e Finanças, Planejamento, Liderança, Marketing e Vendas.

O novo Ministro da Saúde definiu a missão de seu mandato: CUIDAR DE PESSOAS!

Não por acaso, cuidar de pessoas é a missão do Recursos Humanos numa empresa, e nada é mais crucial do que cuidar das pessoas no momento.

Por mais variada que seja a situação das empresas diante das alternâncias dos cenários e projeções econômicas, todas as pessoas estão emocionalmente afetadas pelos rumos da pandemia, temendo mais perder a vida do que perder o emprego!

Gostaríamos de mudar de tema, mas diante do número crescente de mortes e agressividade da COVID-19 e da projeção assustadora da morbidade, diante da demora na vacinação, e das controvérsias quanto ao tratamento eficaz, não é possível ignorar o medo e desanimo que se alastra.

Como desgraça pouca é bobagem, alguns Governadores e Prefeitos optaram por decretar um lockdown desastroso, gerando mais confusão e revolta, portanto, não posso pensar, falar e debater outra coisa com os responsáveis por RH.

Alimentados diariamente pelos meios de comunicação, os maus presságios assustam as pessoas já emocionalmente afetadas, presas em casa, e até com dificuldade para comprar comida, o que pode causar depressão e outros problemas mentais de difícil solução.

Diante desse quadro, o amparo psicológico e esclarecimentos já aventados em meus textos anteriores são ações importantes para recompor a serenidade e a autoconfiança do pessoal.

Neste sentido, não podemos ignorar o excelente exemplo de amparo aos empregados promovido pela Beija-Flor Indústria e Comércio de Alimentos, divulgado recentemente no Youtube onde o Dr. Adler Menezes Dourado, médico do trabalho numa empresa de 12.000 funcionários, apresenta os resultados de tratamento profilático de grande eficácia.

Todavia, acredito que vale a pena incluir nessa receita: a esperança em dias melhores e um certo grau de espiritualidade para fortalecer mentalmente as pessoas.

Vale a pena reforçar o sentimento instintivo de transcendência e continuidade que todos nós possuímos, e estimular pensamentos positivos que dê esperanças de melhores dias em nossas vidas.

Por tradição cultural reconhecemos a dualidade do ser composto de corpo e alma, e que somos mais do que simples animais. No íntimo, não acreditamos no fim absoluto, e até esperamos dar continuidade à nossa existência de alguma maneira.

A grande maioria das pessoas possuem um certo grau de religiosidade, até mesmo os que se dizem ateus, graças a Deus.

A percepção da fragilidade humana nos encaminha à concepção universal de um Pai que nos socorre em momentos difíceis. Nos anima a ideia de que existe um poder superior que pode nos livrar de todo o mal. Convém lembrar que somos dotados de poderes que nem sempre utilizamos, e a esses poderes precisamos recorrer agora.

Por oportuno, lembramos os ensinamentos de Deepak Chopra, em “Mutantes”:

“Somos as únicas criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos! Nossas células estão, constantemente, bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificadas por eles. Um surto de depressão pode arrasar seu sistema imunológico; apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente. A alegria e a realização nos mantém saudáveis e prolongam a vida. A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse.

Suas células estão constantemente processando as experiências e metabolizando-as de acordo com seus pontos de vista pessoais. Não se pode simplesmente captar dados brutos e carimbá-los com um julgamento. Você se transforma na interpretação quando a internaliza.

Quem está deprimido por causa da perda de um emprego projeta tristeza por toda parte no corpo – a produção de neurotransmissores por parte do cérebro se reduz, o nível de hormônios baixa, o ciclo de sono é interrompido, os receptores neuropeptiídicos na superfície externa das células da pele se tornam distorcidos, as plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos e até suas lágrimas contêm traços químicos diferentes das lágrimas de alegria.

Todo este perfil bioquímico será, drasticamente, alterado quando a pessoa encontra uma nova posição. Isto reforça a grande necessidade de usar nossa consciência para criar os corpos que, realmente, desejamos. A ansiedade por causa de um exame acaba passando, assim como a depressão por causa de um emprego perdido. O processo de envelhecimento, contudo, tem que ser combatido a cada dia”.

Shakespeare não estava sendo metafórico quando “Próspero” disse: “Nós somos feitos da mesma matéria dos sonhos.”

Você quer saber como está seu corpo hoje? Lembre-se do que pensou ontem. Quer saber como estará seu corpo amanhã? Olhe seus pensamentos hoje! Ou você abre seu coração, ou algum cardiologista o fará por você!”

Acredito que esses pensamentos podem ajudar a superar a fase de pessimismo que afeta a humanidade como um todo.

Vicente Graceffi, consultor em desenvolvimento pessoal e organizacional. É um dos colunistas do RH Pra Você. O conteúdo dessa coluna representa a opinião do colunista. Foto: Divulgação.


De 1 a 5, quanto esse artigo foi útil pra você?
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5


0 Comentários

COLUNISTAS

Rosalina Moura

É possível evitar uma epidemia de transtornos mentais pós-pandemia?

15/09/2020

Ricardo Amorim

A mudança de mentalidade que o home office pode causar

16/10/2020

Tiago Petreca

O que se quer: Da Carne à Alma

19/11/2020

Ricardo Amorim

Guerra?

08/01/2020

Tiago Petreca

Já se acostumou? Cuidado!

23/09/2020

Leila Navarro

RH de plantão para a “UTI”

15/06/2021
Athomus Tecnologia da Informação