Habilidades campeãs no mundo dos Esportes e no mundo dos Negócios

É inegável que praticar um esporte é um bálsamo para a qualidade de vida e para o desenvolvimento de inúmeras habilidades e competências. Também é inegável que atuar naquilo que se ama fazer não é um trabalho e, sim, uma satisfação. Então, nossa primeira reflexão nos leva a perceber ser incontestável que compatibilizar estas duas forças só traz benefícios. Vamos sair deste macro, pensando em outros insights?

Estamos vivendo um momento atípico no mundo em várias perspectivas. É impossível não destacar as mudanças, adaptações, superações. Uma olimpíada abrigada em uma pandemia é complexo e nos faz pensar de modo muito dual. A começar pelo mote Olimpíadas 2020 em 2021. Quando acompanhamos a divulgação e o teaser, parece muito estranho, “TIPO” um Déjà vu reverso, se isto existe. Só que não. São sinais mesmo dos novos tempos adaptados e customizados a partir da triste pandemia.

Ainda não há clima algum para vibrar e comemorar, visto o luto no mundo frente a uma doença que se desdobra e se multiplica. Mas, inegável é o clima tímido de entusiasmo pontual que cada conquista olímpica traz, aflorando sentimentos de esperança e alegria. Independentemente da idade, etnia, gênero ou cultura, cada etapa vencida tem a capacidade de inspirar. E assim é para tudo na vida! No mundo dos negócios há exatamente este encantamento quando se supera um desafio.

Sejam pequenas conquistas, sejam grandes, devemos celebrar, reconhecer, valorizar e ter orgulho das realizações e do legado. Um campeão não se faz da noite para o dia. Seja no esporte, seja no mundo dos negócios! É preciso ter muita dedicação, treino, treino, treino, treino, bons técnicos (mentores e líderes), perseverança para não desistir perante os obstáculos, conhecimento do oponente e do mercado para traçar estratégias, mensurar resultados, disciplina, inteligência emocional e um desejo indestrutível de tentar e vencer.

O tão célebre entusiasmo da Grécia antiga, atribuído exatamente aos tempos dos jogos olímpicos, onde dizia-se que os atletas entusiastas eram aqueles muito difíceis de serem vencidos, pois tinham uma força dentro de si (“En Theos”, etimologia de entusiasmo) que mobilizava para uma performance focada na excelência. Independentemente da religião, a força interna é o que nos move. É a crença, o propósito, podemos denominar de várias formas!

Um desempenho bem-sucedido é fruto do somatório de várias performances, envolvendo muitos erros, aprendizados, acertos, humildade e uma vontade incondicional de superação. Em não se contentar com a mediocridade e, sim, se auto exigir ser o melhor. Não ficar paralisado pelo medo do concorrente, do presente, do futuro e acreditar em trabalho árduo em cada feito. Vale ressaltar quatro pontos:

  • Equilíbrio é fundamental: aqui destaco a inteligência emocional, ter forças para seguir em frente perante cada tombo ou derrota, e humildade frente às vitórias, respeitando os demais, sejam adversários, sejam passantes na trajetória;
  • Foco: ter metas, mensurar cada “entrega” e se exigir com uma régua superior, sem esperar que venha de fora, se auto exigir;
  • Saber atuar em equipe: seja em um revezamento, em um projeto, seja em um esporte individual, reconhecer as próprias forças e fraquezas e como podem somar;
  • Perseverança: acreditar com alegria ou otimismo em melhores resultados, levando os desafios não como um fardo, mas como passos proveitosos de uma jornada;

O que podemos aprender com uma Olimpíada no meio de uma pandemia? A ter esperança, fazer a nossa parte, aprender SEMPRE e com tudo e todos ao nosso redor, inspirar e acreditar em um mundo melhor!

Habilidades campeãs nos Esportes e Negócios

 

Por Cláudia Danienne, empresária com know-how de mais de 25 anos de mercado profissional, com diversificadas experiências ligadas a Recursos Humanos, tornando-se uma referência em Gente & Gestão. À sua formação inicial de Psicóloga, agrega cursos complementares na Harvard Business School, no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT em Boston, nos Estados Unidos), na FDC/ INSEAD na França – além de Disney Institute (EUA), IBMEC (Rio de Janeiro), entre outras instituições de renome. A profissional também é chairperson do comitê de Pessoas da Amcham BR, no Rio de Janeiro – Câmara de Comércio Americana – e sócio-fundadora da Degoothi Consulting.